NÃO HÁ SAÚDE SEM SAÚDE MENTAL


Estes tempos de pandemia têm sido um grande desafio à nossa saúde psicológica e capacidade de resiliência.

É normal que durante uma crise como esta possa sentir medo, ansiedade ou aflição. O fluxo contínuo de notícias na televisão e na internet sobre a pandemia, o vírus e todos os acontecimentos que se sucedem de forma rápida podem ser perturbadores. Com grande facilidade podemos ficar demasiado envolvidos no que se está a passar.


ESTES SENTIMENTOS SÃO NATURAIS!

É natural sentir angústia, tristeza, medo, incerteza, desgaste e cansaço.

É natural que nos possamos sentir insatisfeitos com a nossa vida,

sem controlo na situação e, de uma forma geral, “em baixo”.

É natural chorar, desesperar, ficarmos mais irritáveis e menos pacientes.

É natural sentir o confinamento como um “castigo” que não se merece. É natural sentir zanga e impotência.

É natural que sintamos que nossa vida fica limitada ao trabalho, sem

actividades de lazer e vida social presencial. O “tempo livre” pode não

nos parecer assim tão “livre”.

É natural sentirmo-nos frustrados porque, mais uma vez, os nossos planos e projectos de futuro ficaram, temporariamente, suspensos.


Se partilha de algum ou alguns destes sentimentos, não está sozinho! Estamos todos unidos por estes sentimentos, nalgum momento ou momentos dos nossos dias, nesta circunstância excepcional.


O que podemos fazer?! Algumas sugestões que ajudam a encontrar equilíbrio:


Tenha um estilo de vida saudável


Descubra o que PODE FAZER em vez de se focar negativamente naquilo que não pode fazer como antes.

Aproveite o seu tempo. Aproveite este período para fazer coisas para as quais não costuma ter tempo.


MEXA o CORPO, RESPIRE! O movimento e a actividade melhora o nosso humor e a nossa saúde. Encontre exercícios que possa fazer facilmente – subir umas escadas ou uma aula de yoga on-line em grupo. Aproveite o nosso programa INNER rEVOLUTION.


Escolha ALIMENTOS SAUDÁVEIS. Quando estamos tristes ou ansiosos podemos ter a tentação de utilizar a comida e as bebidas para nos “confortarmos”. Faça uma alimentação saudável e evite o consumo de álcool, e se o fizer que seja de forma esporádica e em pequenas quantidades de baixo risco.


Mantenha BONS HÁBITOS DE SONO. O sono é uma grande influência no nosso equilíbrio emocional. Crie e cumpra o hábito de se deitar e levantar à mesma hora; reduza o consumo de estimulantes, crie um ambiente calmo, sem estímulos e fontes de informação. Se tiver dificuldades em adormecer, evite “andar às voltas na cama”, levante-se e experimente a rotina yogin.


Cultive PRÁTICAS DE RELAXAMENTO E TRANQUILIDADE. Verificar constantemente as notícias e as redes sociais pode aumentar a ansiedade, é preferível focar-se em práticas que produzam emoções positivas – como Yoga, conversar, ler, jogar um jogo. Faça uma tarefa de cada vez, com calma.

Encontre um tempo só para si, de silêncio (para contemplar, meditar, cantar, rezar, por exemplo).


ENCONTRE E AGRADEÇA COISAS POSITIVAS. Sozinho ou com a sua família, passe 1 minuto por dia a pensar em coisas boas que lhe aconteceram, que sentiu ou experienciou e pelas quais se sente agradecido.


Desenvolva a sua resiliência


A resiliência é a capacidade que nos permite lidar com os nossos problemas e superá-los, ADAPTARMO-NOS A MUDANÇAS E TRANSFORMARMOS experiências negativas na nossa vida.

Acredite na sua capacidade para lidar com esta situação.


ACEITAR QUE A MUDANÇA E A INCERTEZA FAZEM PARTE DA VIDA – o que nos vai acontecer amanhã é sempre imprevisível.


VIVA UM DIA DE CADA VEZ. Concentre-se no aqui e agora e no que neste contexto, ainda assim, pode controlar. Por exemplo, as actividades que está e pode fazer: preparar uma refeição, fazer yoga, jogar um jogo, fazer uma formação on-line, ver um filme ou documentário.


ALIMENTE RELAÇÕES POSITIVAS - o isolamento físico e o confinamento não significam isolamento social. Apesar de cada um de nós ficar em sua casa, PODEMOS USAR A TECNOLOGIA PARA NOS APROXIMARMOS DAS PESSOAS. É tempo de reduzir a proximidade física, mas aumentar a nossa conexão social e relacional. A conexão com os outros é o nosso “superpoder”.

Faça aulas de yoga on-line, experimente o nosso programa INNER rEVOLUTION.

Ligue para os seus avós que estão sozinhos em casa, para os irmãos durante as refeições ou marque um café virtual com uma pessoa amiga.

Expresse os seus afectos, partilhe o que sente.


PROCURE SENTIR-SE ÚTIL E DAR UM PROPÓSITO AO QUE ESTAMOS A PASSAR.

Procure formas de ajudar. Por exemplo, ofereça-se para ir às compras por um vizinho quando for fazer as suas, cumprindo todas as medidas de protecção; ligue aos seus familiares e vizinhos mais idosos; escreva um postal a um amigo; verifique se existe algum grupo de voluntários na sua zona para o qual possa contribuir; leia uma história à distância; ensine a alguém uma competência ou arte que domina.


Esteja atento às suas emoções, sentimentos e pensamentos


SENTIR ANSIEDADE NÃO É SER FRACO OU INFERIOR AOS OUTROS. Lembre-se que é natural que o seu humor e a sua motivação possam flutuar – uns dias serão melhores do que outros. Não fume e não consuma drogas na tentativa de lidar com as suas emoções. E se tiver problemas com álcool e drogas procure ajuda.


A ANSIEDADE TAMBÉM TEM UMA PARTE BOA E ÚTIL que podemos usar a nosso favor e que contribui para adoptarmos comportamentos pró-sociais e pró-saúde que, neste momento, são fundamentais para nos manter, a nós e aos outros, em segurança e saudáveis.


É muito fácil sentirmo-nos tomados pelas nossas emoções negativas. Procure FALAR COM PESSOAS QUE ESTÃO A LIDAR MELHOR COM AS DIFICULDADES e evite as que estejam muito ansiosas. Limite as suas preocupações e inquietações, e as da sua família, diminuindo o tempo durante o qual está a ver ou a ouvir notícias que considere perturbadoras.


USE O HUMOR. O humor não significa falta de respeito ou incapacidade de reconhecer a gravidade da situação. O humor é uma estratégia saudável para lidar com situações difíceis, que contribui para diversificar emoções e controlar melhor pensamentos.


CRIE UMA ROTINA DIÁRIA/SEMANAL ESTRUTURADA - vai ajudar a manter-se centrado e mais tranquilo. A que horas se levanta, faz as refeições e realiza determinadas tarefas e actividades?

Diversificar actividades e começar de manhã com tempo para si (yoga, meditação, caminhada...), períodos sem telefone, televisão ou outros ecrãs, fazer as refeições a horas e atribuir diferentes períodos do dia a diferentes tarefas é organizador e pode ajudá-lo a encontrar maior tranquilidade.

Planear o dia de trabalho e momentos de tempo pessoal para nós próprios (ver um filme com a família, fazer yoga on-line em grupo, fazer uma caminhada, realizar uma videochamada com um amigo). No final do dia, verifique o que cumpriu e estabeleça as tarefas para o dia seguinte.


MANTENHA O EQUILÍBRIO ENTRE A VIDA PESSOAL E PROFISSIONAL. O trabalho é uma parte muito importante da nossa vida, mas não nos deve impedir de ter “qualidade de vida” ou sentimentos de “realização pessoal”.

Sair do local ou espaço de trabalho durante a pausa para almoço e colocar um alarme para nos lembrar de fazer intervalos regulares durante o dia.

Evitar consultar o e-mail, atender telefonemas ou agendar reuniões fora do nosso horário de trabalho.


PEÇA AJUDA se sentir que está a ficar sem controlo. Se os seus sentimentos de ansiedade e inquietação forem excessivos e persistentes.

Se já não consegue ter prazer em actividades de lazer.

Se está profundamente triste, se tem vontade de consumir álcool em excesso.

Se está extremamente irritado ou agressivo.

Se se sentir completamente sobrecarregado ou incapaz de funcionar e fazer a sua rotina diária.

Alguns recursos: Linha SNS 24, linha SOS Voz Amiga, Emergência de Segurança Social (300 502 502 ou 210 545 400), Instituto Apoio à Criança, Linha SOS criança (116 111, gratuito, todos os dias, 24 horas por dia), Médico de Família ou do Serviço de Saúde Mental da sua região – Adultos, Infância e Adolescência


CUIDAR da SUA SAÚDE vale a pena!

23 visualizações