Yoga é uma das terapias alternativas mais comuns a que os doentes de cancro recorrem


Um estudo do Eurostat revela que o cancro é responsável por mais de um quarto das mortes na União Europeia, com o cancro do pulmão a ser o mais fatal entre os homens e o da mama entre as mulheres.

Em Portugal morrem 70 pessoas por dia com cancro, o que significa 3 pessoas por hora. No total, por ano são registados 25.000 óbitos.


O cancro é uma das principais causas de morte no mundo: 8 milhões de pessoas/ano, e contabiliza mundialmente mais mortes que VIH/SIDA, tuberculose e malária juntos. (dados 2018, Eurostat e OMS)

De acordo com a Organização Mundial de Saúde, cerca de 40% de todos os cancros podem ser prevenidos.

A prática moderada de yoga traz benefícios para as pessoas com cancro.


“A Covid-19 deixa-nos em suspenso e os cancros não esperam”

Cláudia Fraga, Associação Movimento Oncológico Ginecológico (MOG)


O primeiro passo para se manter saudável é ouvir o seu corpo e prestar atenção. Lembre-se todos os dias dos 4 principais mantras da boa saúde - alimentação saudável, fazer diariamente práticas de movimento consciente, hidratação e dormir bem.


Praticar yoga ajuda os pacientes com cancro a combater a fadiga e as insónias. Esta é a conclusão do estudo da Universidade de Rochester (1), nos Estados Unidos, que revela que a prática leve ou moderada de 75 minutos por semana de yoga melhora o bem-estar dos pacientes oncológicos, tendo um impacto positivo a nível social, físico e emocional.


A conclusão do estudo surgiu depois de terem sido analisadas 245 mulheres – com uma idade média de anos – diagnosticadas com cancro da mama.

A prática regular de yoga ajudou a reduzir ou eliminar alguns dos efeitos colaterais dos tratamentos de cancro (dor de cabeça, enjoos, qualidade do sono, variações de humor, stress, ansiedade, confusão mental, cansaço, entre outros).


A nível físico os benefícios são evidentes: alinhamento postural, recuperação dos movimentos do tecido cicatrizado e músculos envolventes, melhoria do equilíbrio, melhoria da atividade circulatória, da flexibilidade, da tonicidade muscular, contribuindo de forma significativa para o bem-estar geral.


Comece hoje! Contacte o 291091444. Veja mais informações sobre as aulas de yoga AQUI.


3 Asana (posições de yoga) para pessoas com cancro da mama


Embalamos suavemente os bebês para acalmá-los; as pessoas atingidas pela dor ou trauma costumam balançar para frente e para trás como forma de consolo. As pesquisas corroboram que o balanço pode acalmar o sistema nervoso e amenizar os medos de quem está enfrentando um diagnóstico de cancro da mama, para quem está passando pelo tratamento ou está em processo de cura após a cirurgia.


O balanço desperta a resposta parassimpática (relaxamento) e acalma a resposta simpática (stress e ação). Além disso, estimula a circulação e melhora o tónus e a flexibilidade muscular (ótimo para linfedema), sem envolver os músculos ou desgastar a energia.

A respiração consciente ajuda a aumentar a troca de oxigénio, a circulação e a drenagem linfática e livra os pulmões de ar viciado. Um corpo em relaxamento activa a resposta do sistema nervoso parassimpático e assim, é um corpo que se pode curar a si mesmo.


Acompanhe passo a passo a Prof. Márcia Rocha AQUI.


LIBERTAÇÃO DO PESCOÇO

Deite-se de barriga para cima. Coloque um bloco de yoga sob a crista occipital (onde o crânio se junta ao pescoço). Se o bloco estiver muito alto e o queixo cair em direção ao peito, deite-se sobre uma manta dobrada. Vire lentamente a cabeça para a direita e depois para a esquerda, várias vezes. O movimento de balanço irá libertar os flexores e extensores do pescoço.


EXPANSOR DE PEITO E DRENAGEM LINFÁTICA

Coloque duas ou três mantas dobradas sob a coluna torácica (meio das costas entre as omoplatas) e um bloco de yoga (ou manta) sob a crista occipital. Se necessário, use mantas para levantar ou baixar a cabeça e a pélvis para maior conforto. Deve sentir uma abertura no peito, o que permitirá que a respiração se expanda.


Afaste os braços para os lados, mantenha-os relaxados no tapete. Dobre os joelhos e leve as pernas para o lado direito e, ao mesmo tempo, vire a cabeça na direção dos joelhos. Sentirá um alongamento suave no lado oposto do tórax, pescoço e região das axilas. Esse alongamento suave - com respiração consciente - liberta toxinas dos pulmões, do cólon e da pele e estimula o sistema linfático.


PARA o SACRO E DOR LOMBAR

Dobre os joelhos e com a ajuda das mãos traga-os ao peito. Balance os joelhos e a bacia suavemente de um lado para o outro para soltar a região lombar e os flexores das coxas. Depois à medida que o corpo se solta, leve os pés ao chão e à largura do tapete de yoga, e deixe ambos os joelhos "cair" suavemente para um dos lados para abrir mais a bacia. Esta postura liberta a tensão da região lombar e na bacia, e alivia a dor sacroilíaca.


(1) Estudo Universidade de Rochester

13 visualizações